3.ª Edição - A Minha Escola Adopta um Museu

FotoFoi no bonito e interessante Palácio Nacional de Queluz, iniciado em 1747 e completado em 1760, que decorreu a cerimónia de entrega de prémios da 3ª Edição do Concurso A Minha Escola Adopta um Museu, iniciativa conjunta dos Ministérios da Educação e da Cultura, que se fazem representar nesta parceria pela DGIDC - Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular e pelo IMC – Instituto dos Museus e da Conservação. A cerimónia para a entrega dos prémios foi presidida pela Senhora Secretária de Estado da Cultura Dr.ª Paula Fernandes dos Santos, a qual, após saudar os presentes referiu as vantagens da parceria existente entre os dois ministérios, cujos resultados são por demais evidentes nomeadamente no aumento de participantes que se tem verificado de ano para ano. 

A este concurso podem concorrer todos os alunos de todos os estabelecimentos de ensino públicos e privados existentes no nosso país. As modalidades admitidas ao mesmo são: Produção Escrita; Artes Visuais; Vídeo e Artes Performativas. Os alunos são divididos pelos três Ciclos do Ensino Básico, Ensino Secundário e Ensino Especial. Os trabalhos foram apreciados por um júri nacional composto por Graça Morais, pintora, que presidiu, Luísa Costa Gomes, escritora, Paulo Teixeira, escritor, Andrea Basílio, produtora de televisão, Graça Mendes Pinto, em representação do IMC (Ministério da Cultura) e Paulo Jorge Fonseca, em representação da DGIDC (Ministério da Educação). O trabalho de grupo apresentado pelos alunos André Nunes, Amárico Magalhães, Carlos Dias, Jennyfer Nogueira, Joana Barros, João Machado, Joel Cepa, Luís Gonçalves e Paula Freitas, todos pertencentes ao CER – Centro de Educação e Reabilitação da CERCIFAF, foi coordenado pela Professora Carolina Maria Sousa em colaboração com professoras e técnicos desta Unidade.

Foto

A CERCIFAF venceu (pelo terceiro ano consecutivo) o Prémio na categoria de Ensino Especial com um Tríptico da Lamentação. O tríptico é um quadro executado em três partes (este foi construído em madeira), em que as duas laterais dobram sobre o meio. O prémio para os alunos foi, constituído por livros e material escolar, um cheque prenda no valor de vinte euros (a descontar nas lojas existentes nos museus), um livre-trânsito com validade até Maio de 2009, que permite a entrada em todos os museus nacionais não só ao aluno como a sua família e ainda um aparelho de música (MP3). Por sua vez a professora recebeu para além do livre-trânsito e cheque prenda, livros diversos, um DVD sobre Arqueologia material que a docente ofereceu para a biblioteca da Instituição. A CERCIFAF também não foi esquecida e para além de livros recebeu um router, este destinado à Escola. Para além destes prémios todos os discentes e a docente receberam um Diploma de Participação. Os prémios foram entregue aos alunos e professoras que representaram o CER, pelo representante da DGIDC, Dr. Paulo Fonseca. No final da cerimónia todos os presentes foram convidados a visitar o Palácio que, “pela sua traça, elegância e pelo desenho dos seus jardins, povoados de estátuas e de fontanários barrocos, foi considerado um pequeno Versailles”. O palácio é, actualmente, residência oficial de altas individualidades estrangeiras convidadas pelo Estado português, e acolhe regularmente concertos, exposições e recriações históricas. O Palácio Nacional de Queluz, aberto ao público desde 1940, integra um importante espólio de Artes Decorativas ilustrativas da evolução do gosto português de meados do Século XVIII ao início do Século XIX. O Museu adoptado pela CERCIFAF é o Museu Alberto Sampaio, localizado na vizinha cidade de Guimarães, com quem a CERCIFAF mantém uma excelente relação de parceria e também de amizade, nomeadamente com a sua Directora, Técnicos Superiores e não só.